Colportagem

 A palavra colportagem vem da palavra colportor que deriva do francês e significa “levar no pescoço”. Esse nome originou-se do costume que tinham os colportores de levar a Bíblia, ou porções da Bíblia debaixo da roupa, ou numa bolsa que pendia do pescoço. Embora inicialmente os colportores vendessem qualquer tipo de livros ou mercadorias, mais tarde, esse tipo de atividade passou a incluir a venda de apenas livros religiosos e de saúde.

A colportagem surgiu no final do século XII, em Lyon, na França, quando Pedro Valdo, que era um rico comerciante leu as Escrituras e decidiu fazer com que a Bíblia pudesse ser adquirida e lida na língua materna do povo. Os seguidores de Pedro Valdo ficaram conhecidos como valdenses.

No Brasil, em 1928, a colportagem surge na Igreja Adventista do 7º Dia Movimento de reforma após um apelo feito pelo do pastor Carlos Kozel. Surge então o primeiro colportor, um jovem com 20 anos de idade, chamado André Cecan. Depois, surge um companheiro, chamado Jorge Devai Júnior. O livro que vendiam era a Bíblia, que era entregue com brochuras e folhetos. Havia menos de 50 membros. Foi dedicado muito empenho à colportagem. A literatura de saúde surge em 1933, e também uma equipe com 4 colportores. A obra teve um grande avanço.

Em 1951, em Vila Matilde, São Paulo, foi construído um galpão, onde foi instalada a oficina de encadernação para o ministério da página impressa. Em 1985 foi construída a Editora Missionária A Verdade Presente, em Itaquaquecetuba – SP, a qual atende a demanda da obra de publicações.

Como resultado da colportagem, muitas igrejas e grupos foram abertos. Temos a plena confiança na promessa de Deus apresenta na Bíblia, Salmo 126:6 - Aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de alegria, trazendo os seus feixes.

Boletins

Projetos

Perfis em exercício

Joás da Silva Barbosa

Diretor

Detalhes